O PLÁSTICO NÃO É TODO MAU!

Todos os artigos>O PLÁSTICO NÃO É TODO MAU!

O PLÁSTICO NÃO É TODO MAU!

O PLÁSTICO NÃO É TODO MAU!

Desde o século passado que se fala em reciclagem e se coloca uma conotação negativa sobre o plástico. Efetivamente este tipo de material nem sempre foi o nosso melhor amigo mas, neste momento, a ciência ajudou e o ambiente agradece!

Quer saber porquê? Acompanhe-nos!

Como apareceu?

A nossa história começa em 1862, com Alexander Parkes, conhecido metalúrgico e inventor inglês, que descobriu um material orgânico derivado da celulose. A ideia original era encontrar um substituto da borracha, bastante usada nessa altura. A parkesina, nome pelo qual ficou conhecida a substância por ele encontrada, apesar das suas características únicas, mantendo a forma depois de fria, tinha um elevado custo de produção o que acabou por ditar o final dos investimentos.

Apenas alguns anos mais tarde, o tipógrafo americano John Wesle Hyatt, aperfeiçoou a celuloide e fez nascer no mercado aquela que ficou conhecida como a primeira matérias plástica artificial, que poderia substituir o marfim e a borracha.

A ciência ajudava e já nos anos 30 da década de 90, aparecia o poliestireno e a partir daí começaram a entrar no mercado todo o tipo de plásticos e suas variantes: polietileno, PVC, poliamidas (Nylon) e poliéster.
Daqui ao exagero no consumo foi apenas um salto. Hoje em dia, o plástico é visto como um bicho papão, um dos maiores flagelos da humanidade e o maior poluente das nossas praias e oceanos.

 

Desmistificar é preciso!

A ciência evoluiu e hoje em dia existem no mercado imensas soluções que não só, não poluem o ambiente, como são uma solução para produtos que à partida podem parecer muito semelhantes.

No artigo “COPOS DE PLÁSTICO: CONHECE AS DIFERENÇAS E OS RISCOS DE CONSUMO?” pode ler mais sobre os tipos de copos existentes e os riscos podem ou não estar associados à sua utilização.

 

O presidente da Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos, em declarações à Rádio Renascença no início de junho, mostrou que os malefícios do plástico não são apenas maus e que nem tudo pode ser visto como tão prejudicial para o planeta. Afirmou na sua entrevista que “Para transformar uma tonelada de plástico necessitamos de muito menos energia do que qualquer outro material que o pudesse substituir”.
O problema não é o plástico em si, mas a finalidade e o uso que lhe damos. Sabemos de antemão que a reciclagem de plástico é uma atividade lucrativa e que satisfaz várias indústrias que a partir dessa matéria-prima podem assim criar novos produtos ainda mais resistentes.

 

Os benefícios do plástico

Enunciando apenas algumas das vantagens que podemos encontrar na correta utilização de plásticos no dia-a-dia, podemos perceber claramente que o mito do mau plástico há muito que deveria já ter sido descartado:

     -  Maior durabilidade do material
     -  Menor desperdício
     -  Menor concentração de lixo comum
     -  Conservação de alimentos
     -  Material reciclável
     -  Material biodegradável
     -  Segurança alimentar
     -  Variedade na utilização do material reciclado: energia eólica, motores, isolamentos térmicos, painéis solares, componentes eléctricos e eletrónicos, utilização em viaturas e aviões…

 

Conheça mais sobre este tema nos artigos:

COPOS DE PLÁSTICO: CONHECE AS DIFERENÇAS E OS RISCOS DE CONSUMO?

Material Biodegradável